Uma das canções mais populares da música brasileira, “Anunciação” já foi ouvida por muita gente. Entretanto, o que poucos sabem é que ela correu o risco de nunca ter chegado ao público, não fosse por insistência de uma ex-namorada de Alceu Valença.

Essa revelação foi feita pelo próprio artista pernambucano em depoimento à série de TV “Ao Vivo no Soma”, de Porto Alegre, que debate os bastidores da criação musical. “Comecei a compor na frente dela com uma flauta que eu comprei em Porto Alegre de um hippie malucão. Eu aprendi tocar sozinho, era uma flauta transversa. Na minha casa em Olinda, eu começava a andar pela rua. Aí olhei o Mosteiro de São Bento perto de casa, tocando pela rua. Fui no quintal e ela disse que a música era linda. Eu perguntei qual e ela disse a que eu estava está tocando. Aí eu peguei e escrevi na hora. Se ela não tivesse me dito que era bonita, eu tinha perdido a música”, comenta Alceu.

“Anunciação” foi gravada em 1983 para o LP Anjo Avesso. Sua letra incorpora referências ao pensamento político durante a ditadura militar, assim como um misticismo característico das canções do autor. Regravada diversas vezes tanto por Alceu quanto por outros intérpretes, a canção carrega traços típicos da cultura nordestina.

Ditadura militar

Em 1984, Anunciação fez um grande sucesso, sendo cantada como um hino pela volta da democracia no Brasil pelos manifestantes que desejavam eleições diretas para a presidência.

Da perspectiva política, a letra pode ser entendida como o sonho da chegada de um novo tempo de liberdade. Há quem diga, inclusive, que o anjo mencionado na canção seria Stuart Angel, militante morto pelo regime militar e amigo de Alceu Valença.

Significado de Anunciação, por Alceu Valença

Com tantas teorias, vale descobrir o que Alceu Valença tem a dizer sobre uma de suas obras-primas. Em vídeo, o compositor contou sobre como a música surgiu:

Essa música nasceu de forma super espontânea. Eu estava em casa e comecei a tocar a flauta transversa. Saí pra rua e fiz a letra se referindo a tudo que eu vi naquele dia

Ele lembra que artistas trabalham com metáforas e afirma que o artista é um repórter poético. Assista:

Em outra entrevista, o artista contou mais detalhes sobre a composição:

Em 1983, eu estava brincando com uma flauta no jardim da minha casa em Olinda. Lembro até hoje, era uma flauta simples que comprei de um hippie no Rio Grande do Sul. Foi aí que me surgiu a melodia de Anunciação. Minha namorada ouviu aquilo e falou: ‘Que música bonita essa que você está tocando!‘. Inspirado, saí tocando pelo quintal e lá estavam as roupas no varal. Fui até a rua, e ouvi o sino da catedral… isso tudo foi colocado na letra da música depois.

Alceu Valença também já afirmou não seguir nenhuma religião. Dessa maneira, podemos deduzir que, como diz o artista, os símbolos religiosos presentes na letra funcionam como uma metáfora para tratar de outros temas.

Anunciação

Na bruma leve das paixões que vêm de dentro
Tu vens chegando pra brincar no meu quintal
No teu cavalo, peito nu, cabelo ao vento
E o Sol quarando nossas roupas no varal

Na bruma leve das paixões que vêm de dentro
Tu vens chegando pra brincar no meu quintal
No teu cavalo, peito nu, cabelo ao vento
E o Sol quarando nossas roupas no varal

Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais
Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais

A voz do anjo sussurrou no meu ouvido
Eu não duvido, já escuto os teus sinais
Que tu virias numa manhã de domingo
Eu te anuncio nos sinos das catedrais

Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais
Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais

Na bruma leve das paixões que vêm de dentro
Tu vens chegando pra brincar no meu quintal
No teu cavalo, peito nu, cabelo ao vento
E o Sol quarando nossas roupas no varal

Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais
Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais

A voz do anjo sussurrou no meu ouvido
Eu não duvido, já escuto os teus sinais
Que tu virias numa manhã de domingo
Eu te anuncio nos sinos das catedrais

Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais
Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais

Ademir Fábio Quinot Ströher - ( Duda Renovatio )
Pai da Sophie e do Gael Cursou Análise e Desenvolvimento de Sistemas (UDESC) e Filosofia (UFSC), juntando as duas paixões que são a tecnologia e o livre pensar. Idealizador e criador do Portal Pensador Anônimo, o qual foi projeto de TCC (Filosofia da informação) do curso de Filosofia, colocado em prática as teses do Filósofo Francês, Pierre Lévy,( Inteligência coletiva; Cibercultura; Ciberdemocracia). Que a força esteja com vocês!