Elon Musk, o homem mais rico do planeta e dono da Tesla, SpaceX e outras empresas inovadoras sugeriu  um “novo WhatsApp” na sua conta do Twitter.

O aplicativo recomendado por Elon é o Signal, uma plataforma de mensagens superior ao WhatsApp em segurança, privacidade e até mesmo transparência. A indicação vem em conjunto com a nova política de compartilhamento de dados sensíveis do WhatsApp, que permite o acesso das suas mensagens pelo Facebook, portanto, elas podem ser vendidas para anunciantes , grandes corporações e governos.

Essa completa invasão de privacidade pela companhia de Mark Zuckerberg gerou indignação nas redes sociais. A hashtag “George Orwell” bombou no Twitter nesta manhã e o Signal é top trends na rede social mundialmente.

As vantagens do Signal

Mas nem tudo está perdido. O “WhatsApp” usado pelo homem mais rico do mundo tem diversas funcionalidades que deixam “no chinelo” seu concorrente.

Primeiramente, o Signal foi completamente auditado por empresas de consultoria em segurança mundialmente conhecidas. Isso significa que todo o código do aplicativo é seguro e pode ser conferido por qualquer pessoa, já o WhatsApp é uma caixa-preta sem transparência alguma.

Vale lembrar que o Signal é uma organização sem fins lucrativos, ela vive de doações para justamente te dar liberdade e não vender suas conversas e outros dados para terceiros.

Além disso, todas as mensagens trocadas via Signal são criptografadas de ponta-a-ponta, com recurso de explosão e você pode conferir isso no código do app. Enquanto no WhatsApp, só existe a promessa de criptografia, já que você não pode conferir se ela funciona ou não.

O app também conta com emojis, gifs e todos os recursos mais comuns do seu concorrente. Conheça e baixe AQUI.

Ademir Fábio Quinot Ströher - ( Duda Renovatio )
Pai da Sophie e do Gael Cursou Análise e Desenvolvimento de Sistemas (UDESC) e Filosofia (UFSC), juntando as duas paixões que são a tecnologia e o livre pensar. Idealizador e criador do Portal Pensador Anônimo, o qual foi projeto de TCC (Filosofia da informação) do curso de Filosofia, colocado em prática as teses do Filósofo Francês, Pierre Lévy,( Inteligência coletiva; Cibercultura; Ciberdemocracia). Que a força esteja com vocês!