Uma mulher que foi violentamente abusada na Arábia Saudita, foi condenado a 200 chicotadas e seis meses de prisão após ser considerada culpada de indecência e falar com a imprensa.

A mulher, de 19 anos, estava em um carro com uma amiga estudante quando dois homens entraram no veículo e as levaram para uma área isolada. Ela diz que foi abusada por sete homens, três dos quais também atacaram sua amiga.

A mulher muçulmana xiita foi inicialmente sentenciada a 90 chibatadas após ser condenada por violar as normas religiosas do reino sobre a separação entre os sexos. Abdul Rahman Al-Lahem, que defendeu a mulher, procurou a mídia após as sentenças terem sido estabelecidas. O tribunal desde então o proibiu de continuar a defender a mulher, confiscando sua licença e convocando-o para uma audiência disciplinar no presente mês.

A Arábia Saudita defendeu a decisão controversa de punir a vítima, dizendo que ela estava errada ao estar fora de casa sem um membro da família do sexo masculino, o que foi recebido com um clamor internacional.

‘O Ministério da Justiça aceita críticas construtivas, longe de emoções’, disse em uma declaração.

Por favor note: a vítima de abuso e seu companheiro homem haviam sido perdoados pelo falecido rei Abdullah em dezembro de 2007.

Comments

0 comments

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui