Psicologia SocialPsicologia Social

Dormir de conchinha é uma das melhores coisas do mundo

Nem tudo que é bom custa caro, nem tudo que é bom é complicado. Dormir de conchinha é uma dessas coisinhas bestas que fazem a gente acordar parecendo uma criança que acabou de ganhar doce, ou como um cãozinho ao reencontrar o dono depois de uma semana.

Só quem já dormiu de conchinha com alguém vai entender do que estou falando. Uma das sensações mais simples e reconfortantes do mundo.

Não importa se vocês transaram, dormir de conchinha é bom de qualquer jeito.

Ter alguém ali, do lado, grudadinho na gente, principalmente nas noites de inverno. Meu cobertor que me perdoe, mas eu ainda prefiro o bom e velho calor humano. É um ritual, deitar, abraçar, apertar mais um cadinho. É amor demais.

O que você sente quando dorme de conchinha com alguém? Acho que o sentimento comum é o de proteção, de afeto e companheirismo. Ninguém dorme de conchinha com qualquer um. É preciso química, interação e parceria. Mesmo entre namorados de longa data, dormir de conchinha sempre desperta alguma nova sensação. É a mágica do ato de dormir ao lado de alguém, desafiando a lei de que dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço.

Dormir de conchinha é uma das melhores coisas do mundo.

E, se você encontrou alguém para dormir com você, considere-se uma pessoa sortuda. Nada melhor do que acordar ao lado de quem a gente ama. Nada melhor do que dormir de conchinha.


Por: Valter Junior

Etiquetas

Redação Pensador Anônimo

O Pensador Anônimo aborda todos os temas relacionados à sociedade. Além de estimular e abrir debates sobre os temas citados, também busca trazer notícias pertinentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Caro leitor, a publicidade é a nossa fonte de renda para manter a estrutura física, intelectual e humana. Para continuar a leitura, por favor desativar o bloqueador de publicidade do seu navegador! Obrigado!