Pensamento Mundo

Coronavírus e a Era da Boçalidade no Brasil

Estamos vivendo um momento raro na História da humanidade. Tempos em que
a coesão, união e esforços de nossa espécie serão testadas ao seu nível máximo. Estes
testes já começam a serem postos em nosso meio, vide como estamos tratando a
pandemia do Covid-19, o Coronavírus, no Brasil. Tivemos uma boa margem de tempo
para nos prepararmos para a crise que se avizinha pela experiência do Corona em outros
países. Mas, no entanto, graças a proliferação e combate que se deu ao conhecimento,
ciência e educação no país nos últimos anos, fomos tomados pelo individualismo,
egoísmo e avareza, que se juntou a indiferença, preconceito, ódio e tantos outros
sentimentos negativos para com o próximo.

Ultimamente fomos bombardeados por desinformações através de redes sociais,
desconsiderando aquilo dito por cientistas, historiadores, economistas, professores,
cientistas, biólogos, infectologistas. Articulou-se uma rede de opiniões e informações
falsas, calcadas no ódio e fanatismo, tais como o movimento dos anti-vacina, dos terra-
planistas e de tantos outros disparates que estão por aí sendo compartilhados por
whatsapp.

Estamos vendo agora o reflexo dos últimos anos dessa abismal quantidade de
idiotices e burrices tratadas como verdade. Muitos desconsiderando aquilo afirmado
pelos órgãos de saúde, médicos, especialistas na área de combate a doenças, e dando
razão as loucuras ditas e afirmadas por alguns poucos fanáticos, que seguem uma
cartilha de idiotização do pensamento, tratando com politicagem a vida humana. Para
estes energúmenos que foram alçados ao pedestal de chefe “mítico e máximo” da nação,
é a vida que está servindo a economia, não a economia a vida.

O discurso é poderoso e influi na população de acordo com o cargo e
importância de quem o profere. Você com certeza não ligaria para o que um daqueles
típicos personagens dos centros da sua cidade, vive falando sobre algum assunto, como
de que os alienígenas estão vindo ou de que os chineses criaram o vírus do COVID-19
em laboratório para derrubar a economia global, mas quando estas palavras saem da
boca de um político com alto cargo como presidente ou ministro de governo, seu
alcance e impacto perante a população é enorme. Tanto o personagem amalucado do centro da cidade quanto os políticos que acreditam nestes espantalhos, possuem sérios
distúrbios, a diferença é que enquanto o personagem é um imbecil que faz mal a só ele
mesmo, presidente e ministros levam todo um conjunto populacional a morte.

Parece que agora tudo aquilo dito pelas autoridades reconhecidas no combate ao
vírus, nas medidas que possam vir a serem tomadas, são desconsideradas, pois agora
muitos só acreditam na sua verdade, ou na verdade ditada por alguém que hoje seguem,
como ingênuos gados indo para o abate. O Brasil está rumando a um caminho sem
volta, onde vidas serão desperdiçadas, ou melhor, sacrificadas, em nome de cifrões e
aumento de lucros. O Brasil que não pode parar sua economia brevemente terá enormes
lucros para um serviço especifico: o das funerárias.

O discurso de que as pessoas morrerão de fome obviamente cola muito bem,
mas diversos governos mundo afora vêm adotando medidas para que isso não ocorra
(até o nosso próprio com medidas da renda mínima universal). O desabastecimento
também é outro argumento mentiroso que também está sendo disseminado. Serviços
essenciais não irão parar durante a quarentena. Água, luz e tantos outros serviços
continuam nesse período, mas aqueles que querem tirar proveito político, ao insistir na
tese de somente uma gripezinha, ainda se agarram a estas palavras para se manterem de
alguma forma em seus cargos. Tanto nos países desenvolvidos quanto aqueles ditos de
terceiro mundo, em situação econômica pior do que a brasileira, tomaram medidas
importantes neste sentido pela atuação do executivo. Aqui o governo federal vai na
contramão, prejudicando e barrando a atuação eficaz de muitos Estados e Municípios.

Vejam o que ocorre na Itália, Espanha, Estados Unidos. Tomemos estes como
exemplo do que não fazer para evitarmos mortes. Olhemos o caso de Milão que em
fevereiro iniciou uma campanha “Milão não pode parar” (muito parecida com a que se
está fazendo agora no Brasil): um mês depois, a cidade italiana já conta com mais de 4
mil mortes por Corona Vírus. Pessoas no Brasil saíram em diversas cidades do país,
dirigindo suas Hilux e BMW’s pressionando pelo fim da quarentena. Claramente estão
pensando no seu bolso e não na situação atual, estimulados pela fala do presidente.

Como podemos perceber, o discurso é ferramenta poderosa. E no momento atual
o principal mandatário da nação põem em risco a vida de milhões por ignorância e

mesquinhez política, auxiliados por uma trupe de palhaços que nem graça tem.
Precisamos neste momento de lideranças fortes e que tomem decisões racionais, não de
alguém que fique brigando com a imprensa, governadores, congresso tal como Dom
Quixote lutava contra moinhos acreditando que estes eram dragões malignos.

Não é possível que a Organização Mundial de Saúde esteja errada, que
infectologistas e cientistas também, que os presidentes dos EUA, China e França
estejam, que o papa seja um charlatão, que todos estes estejam em conluio numa trama
comunista, feminista, gayzista, anarco-bolivariana judaica para derrubar o Presidente
brasileiro e seu governo. As pessoas parecem que não ligam mais para aquilo que é
comprovado, o fato em si ou na realidade: creem que a sua opinião é informação e
verdade, a SUA VERDADE. Não importa aquilo explicado nos mínimos detalhes,
como os números de mortes e de infectados pelo Corona vírus que seguem crescendo a
números alarmantes. Aquilo que contrapõem sua opinião, se torna uma ofensa, já que
agora sua opinião não é mais mera opinião, mas sim quase uma crença religiosa com
tons intensos de fanatismo, por mais imbecil e sem embasamento que seja.

Infelizmente, pelo que tudo aponta, esta conta da ignorância e individualismo de
pensar só em si e na dinheirização da vida, será paga não só por aqueles preocupados
com sua situação, mas pelo conjunto da sociedade brasileira. E não será um boleto
simples de pagar para todos, pois ele virá com juros e correções funerárias. Sairemos de
carreatas contra a quarentena para uma explosão de cortejos funerários, caso se opte
pela ignorância e conta bancária ao invés da vida e do conhecimento.

Etiquetas

Guilherme Lima

Guilherme Da Conceição De Lima - Graduado em História pela UFSC/SC e Mestrando pela UNILA/PR, atua como Professor da Educação Básica. Mente ansiosa, escreve para aliviar os excessos de pensamentos e para aplacar as angustias de um ser demasiado humano.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Caro leitor, a publicidade é a nossa fonte de renda para manter a estrutura física, intelectual e humana. Para continuar a leitura, por favor desativar o bloqueador de publicidade do seu navegador! Obrigado!