Pensamento - Mundo

Início Pensamento - Mundo

10 razões para a legalização das drogas

A legalização de drogas, no que se refere às substancias recreativas, é uma estratégia de reforma da política antidrogas proposta por alguns juristas e ativistas políticos. O fundamento é enfraquecer a rede de tráfico e seu poder de aliciamento de novos usuários, supondo-se ser mais fácil lidar com os danos à saúde, distúrbios psiquiátricos e psicológicos causados pelo consumo do que empregar forças policiais em luta armada a quadrilhas de traficantes enriquecidos pelo comércio ilegal e apoiados por funcionários de delegacias e do sistema prisional ou por representantes políticos corruptos. É um tema extremamente complexo e polêmico, inclusive a depender do modo como for feito pode-se ser enquadrado na legislação de proselitismo e incentivo ao consumo de drogas (Induzir, instigar ou auxiliar alguém ao uso indevido de droga) segundo legislação brasileira." Partindo deste ponto iremos apresentar 10 razões para legalizar as drogas de Juan Carlos Hidalgo[1].

Ritalina, a droga legal que ameaça o futuro

Com efeito comparável ao da cocaína, droga é receitada a crianças questionadoras e livres. Professora afirma: “podemos abortar projetos de mundo diferentes”

NINGUÉM QUER QUE VOCÊ SAIBA SOBRE A SITUAÇÃO ATUAL DE FUKUSHIMA

No mês passado, a distribuidora de energia elétrica Tokyo Electric Power Company (Tepco) anunciou que daria continuidade a seus planos de construir uma “muralha de gelo” em torno dos reatores nucleares danificados de Fukushima. A ideia parecia um retrocesso. Em junho, a companhia encarregada pela desativação da usina destruída por um tsunami em março de 2011 indicou que sua primeira tentativa de instalação de uma estrutura parecida fracassara. A tubulação usada, embora cheia de uma solução química a -33ºC, aparentemente não obteve sucesso ao tentar congelar a terra do local.

Chapei a xana com lubrificante de maconha

Não sou muito da erva. Quando se trata de fumar maconha, não achei minha “janela terapêutica”. Sei exatamente quanta cocaína ou metanfetamina consigo usar numa sentada e consigo até lidar com algumas doses de morfina, mas quando o assunto é fumar maconha, cada tragada é sempre um excesso, e eu acabo tanto “dentro da minha cabeça” que me dá vontade de pular da janela.

Tempos de Turbilhão vividos e relatados – Por Darcy Ribeiro

‘Tempos de Turbilhão – relatos do golpe de 64′ é leitura obrigatória para acompanhar Darcy por dentro dos fatos na sua viagem pelos meandros do poder. “… ressaltam em Jango, por um lado, o profundo conhecimento prático da vida política brasileira e da máquina administrativa federal e seu realismo no trato com as correntes políticas conservadoras. (…) Não sei que imagem se terá no futuro, de meu amigo Jango. Aventuro-me, porém, a predizer que será mais generosa do que esta que se difundiu depois do golpe. Afinal, seu governo não caiu por seus defeitos. Foi derrubado por suas qualidades.”

Reitor propõe desmanche, e greve segue forte na USP

A notícia da intenção da Reitoria da Universidade de São Paulo (USP) em implementar um Plano de Demissão Voluntária para funcionários técnico-administrativos, além de entregar o Hospital Universitário (HU) à Secretaria Estadual de Saúde e de autarquizar o Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais de Bauru (HRAC ou “Centrinho”), causou revolta entre a comunidade acadêmica da USP. A informação foi divulgada no jornal Folha de São Paulo na última quinta-feira (14), através de um documento vazado.