Tudo começou de forma bastante simples. Tina Stoklosa, uma decoradora de interiores natural de Varsóvia, Polónia, decidiu fazer um detox antes do Natal, em dezembro de 2013. Com peso a mais durante toda a sua vida adulta, e a viver constantemente entre períodos de dieta e de comer compulsivamente, a mulher de 39 anos estava à procura de uma receita de um sumo verde quando se deparou na internet com a história de uma rapariga que só comia fruta.

Intrigada, a polaca continuou a pesquisar e encontrou, também online, um grupo de pessoas que seguia o mesmo regime alimentar e que se apelidavam a eles próprios de frugívoros. “A maior parte deles tinha um aspeto incrivelmente saudável e tinham tanta energia que alguns até se tornaram atletas. Decidi experimentar, e só comi fruta durante uma semana antes do Natal”, relata ao “The Sun”.

Tina Stoklosa sentiu-se incrível nessa semana, viu resultados, mas caiu em tentação pouco depois: “Estava mais leve, otimista, apaixonada por tudo. Só a parte psicológica da dieta valeu a pena, a forma como me fez sentir. Decidi que nunca mais ia comer ‘normalmente’, mas nos primeiros dois anos acabei por consumir refeições cozinhadas centenas de vezes”.

Decidida a voltar a ter este estilo de vida, a decoradora de interiores mudou-se para Bali, onde descobriu várias frutas exóticas, tornou-se 100% frugívora e ainda encontrou o amor junto de Simon Beun, 26, natural de Izegem, Bélgica. O agora noivo de Tina Stoklosa, que já era vegan, tornou-se frugívero assim que conheceu a polaca e descreve a transição para este regime alimentar como “muito fácil”: “Senti-me fantástico, a minha corrida melhorou imenso e nunca me arrependi”.

Para além de seguir esta dieta, que os faz consumir duas a quatro mil calorias por dia (e chegam a comer 30 bananas num só dia), o casal não lava os dentes há dois anos — afirmam que não precisam, uma vez que as fibras da fruta limpam os dentes.

Mas esta não é a única afirmação polêmica que fazem: Tina Stoklosa e Simon Beun defendem que o frugivorismo pode curar o cancro, a depressão e doenças crônicas. “Também cura todas as questões relacionadas com problemas digestivos crônicos. Existem centenas de relatos de pessoas que se curaram do cancro por causa deste regime alimentar”, salienta a polaca.

Entre os benefícios desta dieta, Tina Stoklosa salienta a perda de peso — desde que se tornou frugívora, a decoradora de interiores perdeu cerca de 30 quilos, passou de um tamanho 44 para o 36, e tem conseguido manter o peso sem problemas. Para além disto, a polaca também refere as melhorias ao nível da qualidade de sono e energia, e os ganhos financeiros.

Poupamos imenso dinheiro em seguros de saúde, medicamentos, álcool, equipamentos de cozinha e ingredientes, e até em produtos de cosmética. Assim que introduzes o minimalismo na tua dieta, isso espalha-se para outras áreas da vida”, conta Tina Stoklosa, atualmente grávida de 36 semanas.


A polaca refere ainda que podem surgir grandes benefícios de apenas uma pequena mudança: “Se só quiser mudar uma coisa, comece a comer só fruta ao pequeno-almoço, vai sentir-se melhor de imediato. Assim que se adaptar, comece também a comer fruta ao almoço. Se tem alguma doença séria ou excesso de peso, considere fazer este regime durante 30 dias e vejo os resultados”.

Tina Stoklosa e Simon Beun têm um canal de YouTube, “Fit Shortie Eats”, onde partilham histórias das suas buscas por frutas exóticas, e revelam um pouco do seu estilo de vida.


Por Catarina da Eira Ballestero

COMPARTILHAR

OUTRAS LEITURAS


RECOMENDAMOS





COMENTÁRIOS





Pensador Anônimo
O Pensador Anônimo aborda todos os temas relacionados à sociedade. Além de estimular e abrir debates sobre os temas citados, também busca trazer notícias pertinentes.