O ano de 2020 começou com a ameaça de uma 3ª Guerra Mundial, e todos nós sabemos, ou melhor, imaginamos o quão ruim isto seria. Há filmes antiguerras, entretanto, que nos dá uma ideia ainda mais sólida dos absurdos e malefícios que um conflito bélico pode gerar.

Segue então esta pequena lista de 6 filmes antiguerras, incisivos e necessários. Todos pregam a mesma mensagem: na guerra, só existem perdedores.

6º Terra de Ninguém (No Man’s Land)

Embora seja o único com cenas mais leves, inclusive em alguns momentos há até comédia, Terra de Ninguém mostra que por mais boa vontade que se tenha para com o próximo, a guerra é implacável, e, por conseguinte, não permite final feliz, é como estar em cima de uma bomba que mais cedo ou mais tarde explodirá ceifando vidas.

O filme retrata o conflito entre a Sérvia e a Bósnia na década de 90, além de tocar o dedo na ferida da ONU, entidade que nunca consegue efetivar um cessar fogo definitivo. Moral da história: a guerra não tem freio.

5º Abril Sangrento

Apesar de ser uma produção de baixo recurso, já que foi feito para a TV e não para o cinema, Abril Sangrento é o filme mais angustiante sobre o massacre de Ruanda. Tratou-se de uma guerra civil entre tribos “irmãs”: tutsis e hútus. O ódio gerado pelo conflito foi tão grande que cegou ao ponto de se matar vizinhos, amigos de infância, mulheres, crianças, bebês…

4º O Túmulo dos Vaga-lumes

Desenho animado japonês que é de fazer qualquer um chorar, pois foca em duas crianças órfãs tentando sobreviver após bombardeios do exército norte-americano. Uma das mensagens é que na guerra, todos os lados perdem a razão, pois de ambos os lados o sofrimento é inimaginável, inclusive entre aqueles que não têm nada a ver com a briga.

Esse é de cortar o coração.

3º Guerra e Ódio (Wolyn)

O panorama da guerra civil entre ucranianos e poloneses durante a Segunda Guerra Mundial, ou seja, um subconflito. Wolyn apresenta o horror visual desse ódio capaz de matar sem ver a quem. As cenas são ultrafortes, sufocantes… Eu nunca estive numa guerra, mas de certeza, esse é o filme que mais me fez sentir em uma.

2º O Massacre de Nanquin

Ainda sobre o horror na guerra, o Massacre de Nanquin é visualmente menos violento que o 3º lugar, porém enquanto cinematografia, é superior, pois mostra em escala maior as vítimas de um conflito. Os números de baixa são massivos, assim como os números de mortes psicológicas. Quando o Japão invadiu a China, anos antes da Segunda Guerra, o seu exercito chegou a estuprar por volta de 100 mil mulheres na cidade de Nanquin.

Imagine o desespero, a vergonha, o cheiro de sangue, o número de mortos, de suicídios, abusos… Tudo isso, é de alguma forma retratado no filme.

1º O Dia Seguinte

Mas se tem uma produção de cinema capaz de aterrorizar a respeito de uma possível Terceira Guerra Mundial, o seu nome é O Dia Seguinte. Lançado em 1983, o filme simula como seria a Europa após a explosão de duas bombas nucleares. Tem tempo que assisti, e até hoje, volta e meia, tenho pesadelo por causa dele. Pesado.

Segue um trecho “light”.

Ademir Fábio Quinot Ströher - ( Duda Renovatio )
Pai da Sophie e do Gael Cursou Análise e Desenvolvimento de Sistemas (UDESC) e Filosofia (UFSC), juntando as duas paixões que são a tecnologia e o livre pensar. Idealizador e criador do Portal Pensador Anônimo, o qual foi projeto de TCC (Filosofia da informação) do curso de Filosofia, colocado em prática as teses do Filósofo Francês, Pierre Lévy,( Inteligência coletiva; Cibercultura; Ciberdemocracia). Que a força esteja com vocês!