domingo, 25 de junho de 2017

Notícias Políticas

Notícias Políticas

No mês passado, a distribuidora de energia elétrica Tokyo Electric Power Company (Tepco) anunciou que daria continuidade a seus planos de construir uma “muralha de gelo” em torno dos reatores nucleares danificados de Fukushima. A ideia parecia um retrocesso. Em junho, a companhia encarregada pela desativação da usina destruída por um tsunami em março de 2011 indicou que sua primeira tentativa de instalação de uma estrutura parecida fracassara. A tubulação usada, embora cheia de uma solução química a -33ºC, aparentemente não obteve sucesso ao tentar congelar a terra do local.

A notícia da intenção da Reitoria da Universidade de São Paulo (USP) em implementar um Plano de Demissão Voluntária para funcionários técnico-administrativos, além de entregar o Hospital Universitário (HU) à Secretaria Estadual de Saúde e de autarquizar o Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais de Bauru (HRAC ou “Centrinho”), causou revolta entre a comunidade acadêmica da USP. A informação foi divulgada no jornal Folha de São Paulo na última quinta-feira (14), através de um documento vazado.

No dia 06/02/14, ocorreu um protesto no final da tarde contra o aumento da passagem (Candelária x Central), onde, após policiais militares dispersarem manifestantes do interior da Central do Brasil, o cinegrafista, Santiago Ilídio Andrade, da Rede Bandeirantes foi atingido na cabeça por um 'rojão de vara'.

Integrante do Porta dos Fundos chama Roger de fascista e rebate declarações do músico sobre a ditadura militar. "Concordo com você em uma coisa, você é realmente inútil". Leia a íntegra abaixo

A Rússia e a China lançam um novo projeto educativo que recebeu apoio a nível governamental. Em Shenzhen foi assinado um acordo sobre a construção na cidade de uma universidade internacional que prepará especialistas com base nos programas e padrões de ensino da Universidade Estatal de Moscou (UEM). O parceiro da parte chinesa é a Universidade Tecnológica de Pequim.

É ilusão imaginarmos que a polícia vencerá a guerra contra o tráfico. Basta olharmos para os americanos que investem US$ 10 bilhões anuais para manter o mais organizado aparato policial de repressão que se tem notícia: são os maiores consumidores de drogas ilícitas do mundo.