UA-39821510-3
sábado, 24 de junho de 2017

Jornalismo

Jornalismo

O país parece estar sofrendo de um surto hipnótico! E isso é resultado, mais uma vez, do místico e cabalístico dia 13 de agosto. Dizem que o povo tem memória curta e isso parece se confirmar. Surgiu no Brasil um novo pontificado: MARINA SILVA PRESIDENTE. E dessa vez, como já aconteceu no passado com a morte de Chico Mendes, carregando o legado de Eduardo Campos. O povo parece desconhecer que Marina Silva construiu sua carreira em cima de mitos e espectros.

‘Tempos de Turbilhão – relatos do golpe de 64′ é leitura obrigatória para acompanhar Darcy por dentro dos fatos na sua viagem pelos meandros do poder. “… ressaltam em Jango, por um lado, o profundo conhecimento prático da vida política brasileira e da máquina administrativa federal e seu realismo no trato com as correntes políticas conservadoras. (…) Não sei que imagem se terá no futuro, de meu amigo Jango. Aventuro-me, porém, a predizer que será mais generosa do que esta que se difundiu depois do golpe. Afinal, seu governo não caiu por seus defeitos. Foi derrubado por suas qualidades.”

No dia 06/02/14, ocorreu um protesto no final da tarde contra o aumento da passagem (Candelária x Central), onde, após policiais militares dispersarem manifestantes do interior da Central do Brasil, o cinegrafista, Santiago Ilídio Andrade, da Rede Bandeirantes foi atingido na cabeça por um 'rojão de vara'.

O presidente do Uruguai, José Mujica, vai entrar para a história como um dos governantes mais admirados e populares, não só em seu país, mas sim em praticamente todo mundo. Sua vida austera, autêntica, sem poses, a sua inteligência para governar em harmonia com todos os setores do Uruguai, apesar dos temores, dos mais conservadores, que inspirou sua chegada ao poder, pois tratava-se de um

Peritos argentinos asseveram que a América Latina não vai ceder à pressão por parte da União Europeia e não renunciará à oportunidade de incrementar as suas exportações para a Federação da Rússia apesar do ...

Eleitor utiliza a pesquisa do manchetômetro como base para denunciar formalmente a Rede Globo ao Ministério Público Federal. Leia abaixo a íntegra da ação Diante da pesquisa chamada de ‘manchetômetro’, feita pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), o eleitor Osvaldo Ferreira apresentou uma denúncia formal ao Ministério Público. Estudo comprova que o noticiário de maior audiência da TV brasileira, o Jornal Nacional, é definitivamente usado pela Globo como um instrumento de oposição ao governo. Leia a íntegra da ação: